Top 5 – Stephen King


Nada de boneca-de-pano falante ou espiga de milho inteligente, os livros que me fizeram gostar de ler de verdade (a ponto de comprá-los sem que um professor precisasse apontar uma arma para a minha cabeça) eram povoados por crianças assassinas, palhaços macabros, hotéis mal-assombrados, etc.

Stephen King já escreveu aproximadamente uma centena de livros sobre esses temas, destes, devo ter lido apenas uns 20, mas de tempos em tempos faço uma pausa nas leituras “sérias” e retorno ao Maine (estado dos EUA onde se passam a maioria de suas histórias) através da mente macabra deste que é um dos meus escritores favoritos.

Faço aqui um pequeno Top 5 de obras que mais gostei. Trata-se uma seleção injusta e incompleta como toda seleção deve ser (“meu deus, cadê The Dark Tower seu cretino?”), então aguardo os comentários de vocês dizendo qual livro está faltando nessa lista ok?

 

5 – Zona Morta 


                Um homem sofre um acidente, fica em coma durante vários anos e quando acorda não só o mundo está diferente como ele próprio já não é mais o mesmo, pois a bordoada que levou na cabeça despertou uma zona morta de seu cérebro e fez com que ele desenvolvesse o poder de enxergar o futuro e o passado simplesmente tocando as pessoas.  Resumindo assim, a história parece meio batida (embora seja de 79), contudo Stephen King, mesmo em meio ao fantástico dá contornos bastante realistas ao personagem John Smith, fazendo com que esta seja uma de suas “criaturas” mais cativantes. Sério, dá até vontade de ser amigo do cara. O romance gerou uma boa versão para o cinema com Christopher Walken e também uma série legalzinha, que durou algumas temporadas, mas que pouco se parecia com a história original.

4 – O Iluminado 


                Este romance elevou o tal do “terror psicológico” a patamares até então não explorados (pelo menos não até onde minha ignorância alcança). A história do perturbado escritor Jack Torrance que resolve se isolar com a família no hotel Overlook durante uma temporada de inverno é uma das coisas mais angustiantes que já li. Há quem defenda que a adaptação do cineasta Stanley Kubrick é superior ao romance (e geralmente quem afirma isso nem mesmo se deu ao trabalho de abrir o livro). Prefiro infinitamente aquilo que imaginei lendo, mas o filme também é bom, é um clássico. São na verdade obras bastante distintas, uma vez que Kubrick optou por eliminar o que havia de sobrenatural (inclusive o próprio Iluminado) e definir aquilo tudo como piração de Torrance. Já Stephen King faz com que o Hotel Overlook seja praticamente mais um personagem. Ele está vivo e guarda um susto a cada porta - e olha que tem porta pra caramba lá. No filme vemos Nicholson detona tudo com um machado,  já o Jack Torrance do livro acha que um taco de críquete faz mais estrago. Também acho. 

3 – As Quatro Estações


                Talvez muita gente não saiba, mas nem só de suspense vive a literatura de Stephen King. “As Quatro Estações” é prova disso. O livro é composto por quatro contos longos (ou seriam novelas?) e dessa publicação saíram nada mais nada menos que dois filmes brilhantes: “Conta Comigo”, baseado em “O Corpo” que tenho para mim como uma das melhores histórias já feitas sobre a amizade na infância e “Um sonho de liberdade”, do conto “Rita Hayworth e a redenção de Shawshank”, uma bela história sobre um banqueiro que vai parar na cadeia acusado de matar a esposa e seu amante, mas enfrenta as adversidades com muita força de vontade e inteligência. Este livro ainda deu origem a mais um bom filme: “O Aprendiz” que não é sobre o Roberto Justus, na verdade o conto “Aluno Inteligente” fala sobre um menino que desconfia de que seu vizinho seja um fugitivo nazista. Enfim, só com os direitos desse livro o Stephen King já ficaria bem rico, não?

2 – Cemitério


                Foi a primeira vez que senti medo lendo uma um romance. Medo no sentido de fechar o livro e dar uma circulada pela casa para ver que diabos é aquele barulho vindo da cozinha. Dar susto no cinema é fácil, uma sombra aqui, uma música de suspense ali e um vulto na janela bastam pra fazer muita gente se borrar. Mas tente fazer isso apenas escrevendo... Se você acha que um cemitério macabro à beira da estrada não é apavorante o suficiente, experimente enterrar o gato de seus filhos lá. Ou quem sabe uma criança.

1 – A coisa


                Palhaço no circo dá medo. Palhaço dentro de um bueiro e com dentes de demônio dá mais medo ainda. “Aqui Todos Flutuam” diz Parcimonioso, o simpático clown que oferece balões vermelhos ao menininho que acabou de ver seu barquinho de papel cair na escuridão do esgoto. O menino estica o braço para pegar o balão. O palhaço sorri.

Mais de mil páginas sobre a infância e o terror de crescer num mundo onde o medo predomina. Uma obra-prima do suspense.

 



Escrito por Eder - eder_ceima@yahoo.com.br às 23h40
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]





Meu perfil
BRASIL, Sul, Homem, de 26 a 35 anos, Livros, Cinema e vídeo


Histórico
    Votação
    Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
    Jornal Rascunho
    Revista Cult
    Revista EntreLivros
    Quadrinhos - Malvados
    Provocações - TV Cultura
    Roda Viva
    Cinema - Omelete
    Cinema em Cena
    Los Hermanos
    Livros para Dowload - Domínio Público
    Macuco Blog
    Blog da Jaciele